Obesidadeonline

Para emagrecer com Saúde

Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica – TCAP

Por Marly Amorim Palavras

Há duas categorias de Transtornos Alimentares bastante conhecidas:

A primeira é a Anorexia Nervosa, caracterizada pelo medo intenso de engordar, pela manutenção do peso corporal abaixo do considerado normal e por uma acentuada distorção da imagem corporal.

A segunda categoria é a Bulimia Nervosa, que se configura pela presença de uma ingestão excessiva de comida, seguida pela adoção de algum método compensatório para evitar o ganho de peso após o abuso alimentar. Estes mecanismos compensatórios acontecem através do vômito auto-induzido, do abuso de diuréticos e laxantes, de jejuns prolongados e de exercícios excessivos.

A partir da década de 80, uma terceira categoria de Transtornos Alimentares surge, pois se passou a observar, sobretudo em pacientes obesos, a presença de ingestão excessiva de alimentos, como observada em pacientes bulímicas, porém sem uso de mecanismos compensatórios.

Esta nova patologia recebeu o nome de Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica (TCAP). É, portanto, uma categoria diagnóstica recente e bastante complexa e encontra-se, ainda, em fase de pesquisa e validação.

O aspecto principal desta patologia é o episódio de compulsão alimentar que se caracteriza por dois itens igualmente importantes:

  1. A pessoa come uma grande quantidade de alimento em um intervalo de tempo curto (por exemplo, dentro de duas horas) e
  2. Há uma marcante falta de controle sobre o comportamento alimentar, ou seja, existe a sensação de que a pessoa não pode e não consegue parar de comer, além de não controlar o que come e quanto come.

Para um diagnóstico preciso, a pessoa precisa ter os episódios de compulsão alimentar no mínimo duas vezes por semana e estar passando por este problema há pelo menos seis meses. É por esta razão que se usa a palavra “periódica” no nome da patologia.

Como complementação na avaliação deste transtorno, tem que se considerar a presença de pelo menos três dos indicadores comportamentais relacionados a seguir:

As causas que explicam esta patologia são múltiplas: problemas genéticos, aspectos psicológicos, familiares e questões socioculturais.

Estudos mostram que o TCAP pode, comumente, estar associado a outros transtornos psiquiátricos, como quadros de ansiedade e depressão.

Em relação aos aspectos psicológicos, observa-se no grupo de pessoas com TCAP, uma maior tendência a auto-estima rebaixada, uma referência negativa de si mesma, dificuldade ao lidar com situações estressantes. Nota-se, também, que sentimentos de raiva, ansiedade, angústia, tristeza, solidão e tédio são facilitadores para disparar um episódio de compulsão alimentar.

Além disso, pessoas com TCAP apresentam maior insatisfação com seu peso e sua forma, quando comparados com obesos sem TCAP e mostram dificuldade em buscar equilíbrio entre o peso real e o peso desejado.

Encontra-se na história de vida de muitas pessoas com TCAP, um início precoce dos episódios de compulsão alimentar, muitas vezes já presente na infância e na adolescência. Este fato leva-as a buscar dietas já nesta fase inicial, as quais tendem a se prorrogar durante um longo período de suas vidas, pois, normalmente, chegam aos ambulatórios e clínicas, na fase adulta. O abuso de medicação para emagrecer acaba por trazer prejuízos e tais pacientes começam a enfrentar as dificuldades referentes a um constante movimento de perda de peso seguido por ganho, e este aspecto promove uma relação direta entre o grau de obesidade e a patologia. Ou seja, estudos apontam um aumento na gravidade do episódio de compulsão alimentar, de acordo com um maior grau de obesidade.

É importante que esta patologia possa ser diferenciada de um quadro de obesidade para que o tratamento possa ser eficaz. Por não se obter um diagnóstico correto e preciso, tais pacientes buscam tratamentos dirigidos à obesidade e deixam de considerar os aspectos psicológicos e psiquiátricos envolvidos no TCAP, os quais ficam sem suporte. Assim, o quadro regular de episódios de compulsão alimentar derruba qualquer dieta e facilita o ganho de peso, o que gera muita frustração e autodepreciação, favorecendo a perpetuação do mesmo.

Os Transtornos Alimentares, incluindo o TCAP são patologias associadas à saúde mental e trazem sérios prejuízos à vida pessoal, familiar, social e profissional. Portanto, eles devem ser cuidados por uma equipe multiprofissional que precisa incluir psiquiatra, psicólogo, nutricionista, entre outros.

Ao se obter, através de tratamento adequado, uma redução na freqüência dos episódios de compulsão alimentar, a qualidade da vida física e psíquica torna-se melhor.

Referências Bibliográficas

1. Appolinário JC. Transtorno do comer compulsivo. In: Nunes MAA, Appolinário JC, Abuchaim ALG, Coutinho W. Transtornos alimentares e obesidade. Porto Alegre: Editora Artes Médicas Sul; 1998.p.40-46.

2. Passos TCM, Stefano S, Borges MBF. Transtorno da compulsão alimentar periódica. In: ClaudinoAM, Zanella MT.Transtornos alimentares e obesidade – guias de medicina ambulatorial e hospitalar. São Paulo: Editora Manole; 2005.p59-69.

Marly Amorim Palavras

Psicóloga Clínica – CRP 06/16138

Membro do PROATA (Programa de Orientação e Assistência a Pacientes com Transtornos Alimentares) / UNIFESP

Endereço: Rua Antônio das Chagas, 71 – Chácara Santo Antônio – São Paulo/SP – Telefone: 5182-1721. Email: mpalavras@ig.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>