A importância dos hormônios em nosso organismo

A importância dos hormônios em nosso organismo
Agradecemos Por Sua Avaliação

Por Dra. Ana Paula Rodrigues Pirró.

Entrevista publicada na Revista Viva Barsa Planeta em outubro de 2010.

1. Qual a função dos diversos hormônios e como o desequilíbrio hormonal afeta o funcionamento do organismo?

A origem da palavra hormônio é grega, HORMAO, que significa estímulo, movimento. Nascer, crescer, se desenvolver, sentir-se bem, confiante, tudo depende do seu equilíbrio hormonal. Para termos sucesso no trabalho e nos relacionamentos precisamos nos sentir bem, e isto depende do nosso equilíbrio interno, regulado pelos hormônios.

Sentir-se feliz é um estado hormonal, sentir-se triste também!

Depende do equilíbrio hormonal.

Os hormônios são responsáveis por tudo o que acontece em nosso corpo.

2. Optar por alimentação saudável, praticar exercícios físicos e evitar o consumo de cigarro bem como o excesso de bebidas alcoólicas são caminhos recomendados para alcançar o equilíbrio físico. A escolha por uma vida saudável reflete-se também nos demais aspectos da vida? Como?

A escolha por uma vida saudável reflete-se também nos demais aspectos da vida, pois regula nosso equilíbrio hormonal: Açúcar, carnes gordas, frituras, enlatados, refrigerantes e sal: interferem na circulação de neurotransmissores que diminuem o raciocínio e a memória e levam a constantes alterações no humor, que vão interferir negativamente em nosso estado de ânimo para o trabalho e também para a vida pessoal.

Por outro lado, alimentos como peixes, frutos-do-mar, cereais, castanhas e grãos são ricos em selênio e zinco, minerais precursores da serotonina (substância ligada ao bem-estar e saciedade).

3. No ambiente de trabalho, os profissionais sedentários alcançam o mesmo rendimento do que os colegas que se exercitam?

Atividade Física: além de queimar os hormônios produzidos pelo estresse, aumenta o nível de substâncias como as endorfinas e dopamina, que trazem sensação de bem-estar e aumentam a saciedade. Resultado: boa disposição para o trabalho e relacionamentos pessoais também.

4. As pessoas que passam 10 horas por dia sentadas e não praticam exercícios tendem a ser menos produtivas no trabalho?

Sim. Nosso organismo precisa de movimento para manter-se equilibrado e produtivo.

Todos nós somos submetidos ao estresse diariamente, e isto é bom (!).

Após uma fechada no trânsito, por exemplo, informação chega ao cérebro e o hipotálamo envia hormônios para todo o organismo com a ordem de se preparar para reagir ou fugir, o coração bate mais forte para irrigar os músculos, o que nos deixa momentaneamente mais fortes e rápidos.

É sempre assim com qualquer tipo de estresse: momentaneamente nos torna mais produtivos!

Os problemas podem aparecer porque estes hormônios produzidos para esta suposta reação ou fuga precisam ser eliminados do organismo, para voltarmos ao nosso equilíbrio: é como um sistema elétrico: não deve sofrer sobrecarga, ou deixa de funcionar bem.

A atividade física faz isso, consome os hormônios produzidos diariamente nas situações de estresse.

5. Como as conseqüências do estresse, do sedentarismo e da alimentação desequilibrada podem ser identificadas no trabalho?

Estresse, sedentarismo e alimentação desequilibrada levam a desequilíbrios internos que podem levar a um perfil hormonal de uma pessoa idosa.

Perfil Hormonal Idoso: aumento de prolactina e cortisol e diminuição de melatonina, dopamina e DHEA.

Resultado deste padrão hormonal no organismo:

Má qualidade do sono
Fraqueza /Indiferença diante dos fatos diários
Baixa concentração/Memória deficiente
Dificuldade de encontrar prazer nas atividades diárias
Pessimismo
Compulsão alimentar
Envelhecimento precoce
Quando estamos equilibrados do ponto de vista hormonal, temos o padrão inverso:

Perfil Hormonal Jovem:

Jovialidade
Arrojo
Otimismo
Bom sono
Facilidade em encontrar prazer nas atividades diárias.
6. O que a motivou a optar pela endocrinologia como especialidade médica?

A minha visão de que o organismo é um só, e trabalha de forma integrada.

Não dá para tratar o coração, por exemplo, sem considerar sua inter-relação com os rins, pulmões, com o cérebro. A Endocrinologia estuda o equilíbrio interno de forma integrada, todos os órgãos e suas interações. Se estivermos equilibrados internamente podemos nos sentir bem.

7. A senhora é também especialista em acupuntura. Como a endocrinologia e a acupuntura se aliam e complementam o tratamento dos distúrbios alimentares?

Tanto a Endocrinologia quanto a acupuntura tratam do equilíbrio do ser humano como um todo.

A acupuntura: os estudos recentes mostram que o mecanismo de ação da acupuntura se dá através da liberação de hormônios e de outras substâncias responsáveis pelo bem estar e controle da dor.

O organismo funciona de forma integrada, o bem estar depende de um equilíbrio de todos os órgãos e de nossa vida emocional.

E o que podemos fazer para atingir equilíbrio hormonal? A alimentação, atividade física, o sono e a acupuntura interferem diretamente neste equilíbrio hormonal.

A acupuntura é um tratamento que pode restabelecer todo este equilíbrio hormonal.

Dra. Ana Paula Rodrigues Pirró é médica endocrinologista especialista pela Associação Médica Brasileira formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e médica acupunturista formada pelo Hospital do Servidor Público Municipal

Consultório: Rua Cayowaá, 1071 – fone: 3801-2197